terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

José de Almada Negreiros, NOME DE GUERRA (1938 [925]

«Das duas uma: ou as pessoas se fazem ao nome que lhes puseram no baptismo, ou ele tem de seu o bastante para marcar a cada um.» 

2 comentários:

  1. Um nome que merece sempre ser recordado. Li a obra dele que foi publicada pela Estampa no século passado e que me deixou fascinado. penso que nos dias de hoje, essa mesma obra permanece ainda por descobrir.
    Boa tarde!

    ResponderEliminar